IRIS FM
91.4 FM
Regional

Iniciada em Mação vacinação de idosos referenciados no Médio Tejo

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo iniciou quinta-feira, em Mação, a vacinação contra a covid-19 dos primeiros 102 utentes referenciados pelas unidades de saúde familiares, disse à Lusa a coordenadora.

Diana Leiria, diretora executiva do ACES Médio Tejo, com sede em Riachos, no distrito de Santarém, afirmou que o primeiro lote de 102 vacinas recebido vai ser administrado em Mação, hoje e na sexta-feira, iniciando a vacinação de utentes com idade igual ou superior a 50 anos e pelo menos uma das patologias definidas (insuficiência cardíaca, doença coronária, insuficiência renal, doença pulmonar obstrutiva crónica ou doença respiratória crónica sob suporte ventilatório e/ou oxigenoterapia de longa duração), e de pessoas com idade igual ou superior a 80 anos, independentemente das patologias pré-existentes.

Na resposta enviada a questões colocadas pela Lusa, a responsável disse ainda que o ACES Médio Tejo está “a preparar quatro grandes centros de vacinação em Torres Novas, Tomar, Ourém e Abrantes em espaços cedidos, de grandes dimensões, que permitam acolher muitos utentes em simultâneo, mantendo as regras de distanciamento social”.

Há também “polos de vacinação nas sedes dos centros de saúde de todos os concelhos” de forma a “facilitar a vacinação de pessoas com mais dificuldade de mobilidade”.

Questionada sobre o ritmo de vacinação e a calendarização do processo, Diana Leiria disse que o mesmo “dependerá da quantidade de vacinas rececionadas em cada semana”, e que estão contabilizados 12.500 utentes inscritos nas unidades de saúde com idade igual ou superior a 50 anos e pelo menos uma das patologias referenciadas registada no sistema, tendo a convocatória para os utentes de Mação sido feita por telefone.

Ao longo desta semana, acrescentou, este ACES está a administrar segundas doses aos seus profissionais, bem como a utentes e profissionais de estruturas residenciais para idosos (ERPI). Até agora, e desde o dia 05 de janeiro, o processo de vacinação decorreu “em 178 ERPI e similares, num total de 7.700 pessoas, 60% das quais já com a segunda dose”.

Estão ainda “elencadas mais de uma dezena de instituições que não foram vacinadas ou não completaram a vacinação por ter surgido um surto”. Nestes casos haverá vacinação assim que haja a validação de fim de surto pela respetiva autoridade de saúde.

No total, “94% dos profissionais elegíveis estão vacinados, a grande maioria com a segunda dose”.

Por outro lado, na sexta-feira e no sábado, dias 12 e 13, começam a ser vacinados 220 elementos das corporações de bombeiros que ainda não receberam a vacina (ficando excluídos, nesta fase, os que estão infetados com o novo coronavírus).

Os elementos das corporações de bombeiros vão receber a vacina da Astrazeneca, que implica uma segunda dose passados 28 dias (ao invés dos 21 dias da Pfizer, que está a ser aplicada nos lares e à população).

A campanha de vacinação contra a covid-19 foi planeada de acordo com a disponibilidade das vacinas contratadas para Portugal, que estão a ser administradas faseadamente a grupos prioritários, até que toda a população elegível esteja vacinada.

O objetivo é vacinar 80% das pessoas com mais de 80 anos até março.

METEOROLOGIA

ESTÁ A OUVIR
91.4 FM
COM IRIS FM

Atualização Diária COVID-19