A grande corrida vai começar

  • A 45.¬™ Volta ao Algarve corre-se entre quarta-feira, 20 de fevereiro, e domingo, 24. Cinco etapas e um total de 778,6 quil√≥metros esperam um pelot√£o de 168 corredores, no qual reina a qualidade, medida pelos 20 homens do top 100 mundial, entre os quais quatro corredores do top 20.

√Č um acontecimento com forte impacto medi√°tico a n√≠vel internacional, mas tamb√©m por ser uma iniciativa que extravasa a componente desportiva, afirmando ineg√°veis compromissos econ√≥micos, sociais e culturais.

A competi√ß√£o mant√©m-se na categoria 2.HC, a mais elevada do circuito Europe Tour, atraindo as melhores equipas e grandes estrelas do pelot√£o internacional. A Volta ao Algarve recebe 12 das 18 equipas WorldTour existentes, entre as quais as tr√™s melhores do ranking mundial de 2018: Deceuninck-Quick Step (B√©lgica), Team Sky (Reino Unido) e Bora-hansgrohe (Alemanha), √†s quais se juntam mais nove forma√ß√Ķes de primeira divis√£o: CCC Team (Pol√≥nia), Groupama-FDJ (Fran√ßa), Lotto Soudal (B√©lgica), Team Dimension Data (√Āfrica do Sul), Team Katusha Alpecin (Su√≠√ßa), Team Jumbo-Visma (Holanda), Team Sunweb (Alemanha), Trek-Segafredo (Estados Unidos da Am√©rica) e UAE Team Emirates (Emirados √Ārabes Unidos).

A 45.ª Volta ao Algarve contará com quatro coletivos de categoria continental profissional, o segundo escalão da modalidade, destacando-se as duas primeiras do ranking Europe Tour por equipas em 2018, Wanty-Groupe Gobert (Bélgica) e Cofidis, Solutions Crédits (França), às quais se somam a Caja Rural-Seguros RGA (Espanha) e a W52-FC Porto (Portugal). O pelotão completa-se com as oito equipas continentais portuguesas: Aviludo-Louletano, Efapel, LA Alumínios-LA Sport, Miranda-Mortágua, Rádio Popular-Boavista, Sporting-Tavira, UD Oliveirense-InOutBuild e Vito-Feirense-PNB.

Num contexto de aparecimento de corridas em datas coincidentes ou incompatíveis com a participação na Volta ao Algarve, a corrida portuguesa resiste como um dos eventos com maior capacidade de atração das melhores equipas mundiais. Para isso contribuem o clima e as estradas algarvias, mas também o percurso desenhado pela organização da prova.

A Volta ao Algarve arranca com uma etapa para sprinters, 199,1 quil√≥metros, que ligam a Cidade Europeia do Desporto, Portim√£o, a Lagos. A segunda etapa ser√° o primeiro teste √† condi√ß√£o dos candidatos ao triunfo final, uma viagem de 187,4 quil√≥metros entre Almod√īvar e o alto da F√≥ia, em Monchique.

Ao terceiro dia chega o contrarrelógio individual de 20,3 quilómetros, com partida e chegada em Lagoa. A quarta etapa vai, novamente, dar uma oportunidade aos velocistas, ao cabo dos 198,3 quilómetros que ligam Albufeira a Tavira. A Volta ao Algarve termina com uma ligação de 173,5 quilómetros, entre Faro e o alto do Malhão, Loulé, que se adivinha decisiva, tendo em conta a dificuldade da subida coincidente com a meta.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*