IRIS FM
91.4 FM
Destaques País

Vila Franca de Xira entre os concelhos que “têm de ter particular atenção sobre a forma como controlam a pandemia”

O primeiro-ministro, António Costa falou ao país para esclarecer aos portugueses como vai prosseguir o plano de desconfinamento. Portugal vai ter uma abertura diferenciada por concelhos, sendo que quatro vão mesmo recuar para a fase anterior.

António Costa frisou que há oito com evolução positiva – que baixaram dos 120 casos por 100 mil habitantes – Borba, Cinfães, Figueiró dos Vinhos, Lagoa, Ribeira de Pena, Soure, Vila do Bispo e Vimioso.

Por outro lado, existem 13 concelhos que “têm de ter particular atenção sobre a forma como controlam a pandemia durante os próximos 15 dias” – Alzejur, Almeirim, Barrancos, Meda, Miranda do Corvo, Miranda do Douro, Olhão, Paredes, Penalva do Castelo, Resende, Valongo, Vila Franca de Xira e Vila Nova de Famalicão.

“A estes 13 concelhos, o que desejamos é que tenham a evolução positiva que aqueles oito tiveram e que, daqui a 15 dias, possam prosseguir na próxima etapa de desconfinamento”, afirmou o primeiro-ministro, chamando a atenção para as regiões mais populosas.

“Infelizmente”, há sete que não avançam no plano. Os que têm mais de 120 casos por 100 mil habitantes não passam para a terceira fase do desconfinamento e “continuarão a aplicar-se as medidas que estão em vigor”. São eles Alandroal, Albufeira, Beja, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela.

António Costa lembrou que “os concelhos que em duas avaliações sucessivas se mantivessem em nível da situação de risco, não poderiam passar para a fase seguinte do desconfinamento” e, por isso, estes sete concelhos não ‘constam’ no plano que entra em vigor na próxima segunda-feira.

Há ainda quatro com situação “mais complicada” que se encontram acima de 240 casos por 100 mil habitantes. Estes recuam no Plano de Desconfinamento, ou seja, voltam às regras da fase anterior: Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior. “Nestes casos, não basta não passar para a fase seguinte. É necessário que recuemos para o conjunto de regras que vigoravam antes do último desconfinamento”.

 

METEOROLOGIA

ESTÁ A OUVIR
91.4 FM
COM IRIS FM

Atualização Diária COVID-19