IRIS FM
91.4 FM
Sociedade

Covid-19: Portugal regista mais 79 mortos e 5.891 infetados

Nas últimas horas, 79 mortos relacionados com a Covid-19 e mais 5.891 infetados com o novo coronavírus, de acordo com o boletim da Direção-Geral de Saúde (DGS) desta quarta-feira, 18 de Novembro.

Em comparação com a véspera, confirma-se um aumento de 2.56% nos casos diários e de 2.22% no número de vítimas mortais. No total, e desde o início da pandemia em Portugal, foram contabilizados até agora 3.632 óbitos e 236.015 casos confirmados de Covid-19. 

Dos óbitos reportados, 47 residiam na região Norte do país, dez no Centro e 16 na zona de Lisboa e Vale do Tejo (LVT). Foram ainda registadas, nas últimas 24h, cinco mortes no Alentejo e uma no Algarve.

Quanto ao número de recuperados, mais 4.257 tiveram alta nas últimas horas, elevando o número total de pessoas curadas da Covid-19 para 153.702

Ainda segundo a DGS, há, neste momento 3.051 doentes com o novo vírus internados em hospitais (mais 23 do que na terça-feira), sendo que, destes, 432 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos (mais um do que ontem).

Por regiões, o Norte permanece a zona do país com mais casos do novo coronavírus, contabilizando, neste momento, 120.157 infetados (mais 3.191) e 1.697 vítimas mortais (mais 47).

Segue-se Lisboa e Vale do Tejo com 83.258 contágios (mais 1.637) e 1.339 mortos (mais 16). Já a região do Centro soma 22.197 casos confirmados (mais 791) e 454 vítimas mortais (mais 10).

Alentejo regista 4.680 infetados (mais 133) e 88 óbitos (mais cinco), e o Algarve, que continua a ser a região de Portugal continental menos afetada, conta com 4.357 contágios (mais 119) e 37 vítimas mortais (mais uma do que ontem).

Nas regiões autónomas, os Açores reportaram, até hoje, 644 casos confirmados (mais 19) e 15 óbitos  (sem mortos a registar). Já a Madeira registou 722 infetados (mais um) e dois óbitos, desde o início da pandemia.

Devido ao agravamento da pandemia, Portugal encontra-se em Estado de Emergência até ao dia 23, sendo intenção do Governo prolongar por mais quinze dias o estado de exceção.