IRIS FM
91.4 FM
País

Orcas atacam embarcações ao largo da costa de Portugal e Espanha

Nos últimos dois meses, vários marinheiros que navegavam ao longo das costas de Portugal e Espanha sofreram ataques de orcas, relatando às autoridades danos em barcos e ferimentos.

O último incidente aconteceu na tarde de sexta-feira, perto da Coruña, na costa norte de Espanha. Uma orca embateu num veleiro da Halcyon Yachts “pelo menos 15 vezes”, contou o proprietário da empresa. O barco perdeu a direção e teve de ser rebocado até ao porto mais próximo para avaliar os danos. Na mesma semana, houve relatos de, pelo menos, outros dois ataques.

A 30 de agosto, em Vigo, um navio de bandeira francesa pediu ajuda à guarda costeira por estar “sob ataque” de um grupo de orcas. Mais tarde, no mesmo dia, um iate espanhol, de nome ‘Mirfak’, perdeu parte do leme depois de várias orcas terem embatido contra a sua popa.

Um mês antes, a 29 de julho, Victoria Morris tripulava um barco de 46 pés, junto ao Cabo Trafalgar, quando ficou cercada por nove orcas. Os cetáceos bateram no casco da embarcação durante mais de uma hora. O barco girou 180 graus e o leme partiu perante os embates.

No início dessa semana, o comandante de um outro barco, relatou um ataque de 50 minutos. O capitão disse que, com a força das investidas, um dos tripulantes deslocou o ombro.

Já em Portugal, no dia 24 de agosto, o proprietário de um veleiro de bandeira nacional comunicou às autoridades ter sido vítima de um ataque de duas orcas, quando seguia a seis milhas da costa, entre o Cabo Espichel e Cascais.

Não se sabe se os ataques foram protagonizados pelo mesmo grupo de orcas, mas, segundo a bióloga Ruth Esteban, “é provável”, visto que, praticamente não há registo de investidas semelhantes por parte desta espécie. “Nunca vi ou ouvi falar de ataques”, garantiu a investigadora à publicação britânica.

As orcas são mamíferos, da família dos golfinhos, “sociais e altamente inteligentes”. De acordo com vários especialistas, contactados pelo The Guardian, é normal que sigam os barcos e que até mostrem alguma curiosidade, mas não que invistam contra embarcações. “É incomum e preocupante”, disse um dos biólogos acrescentando que isto pode indicar que esta espécie pode estar “sob stress”.

As autoridades marítimas espanholas já apelaram aos tripulantes para “manterem distância” das orcas, de forma a evitar acidentes.