IRIS FM
91.4 FM
Mundo

Cabo Verde. ‘Apagão’ da TV analógica demora 5 meses

A informação consta do cronograma aprovado em reunião do conselho de ministros e que entrou em vigor em 28 de julho,  e que refere que a Cidade Velha, município de Ribeira Grande (Santiago), será a primeira localidade do arquipélago a desligar os emissores analógicos de televisão, em 17 de agosto.

Até Novembro serão desligados os restantes emissores da ilha de Santiago e, no mesmo mês, ainda os das ilhas do Maio e do Fogo, e em São Vicente a 17 de Novembro, conforme previsto no “calendário de cessação das emissões televisivas terrestres” em Cabo Verde.

Seguem-se os emissores analógicos nas ilhas de São Nicolau e do Sal (24 de novembro), da Boa Vista e da Brava (15 de dezembro) e de 25 a 28 de janeiro de 2021 os oito emissores analógicos de Santo Antão, a ilha mais montanhosa de Cabo Verde, culminando o processo ao fim de cinco meses.

O ministro da Cultura de Cabo Verde, Abraão Vicente, anunciou em fevereiro último, no parlamento, que a rede de TDT já chegava então chegava a 87% da população cabo-verdiana, garantindo que a implementação estava a “decorrer a um ritmo acelerado”.

“Há TDT em 18 dos 22 municípios”, afirmou o ministro, perante os deputados, na altura.

Em agosto de 2019, em entrevista à Lusa, o presidente da Cabo Verde Broadcast (CVB), Luís Ramos, afirmou esperar o início do ‘apagão‘ analógico no país quando a cobertura da televisão digital ultrapassasse os 90%.

Na ocasião, a taxa de cobertura da rede de TDT rondava os 75 a 80% da população. “Já é um dado importante e contamos até final do ano [2019] ultrapassar os 90% da cobertura”, disse o presidente do conselho de administração da empresa pública responsável pela implementação e gestão de toda a infraestrutura de TDT em Cabo Verde.

Neste momento, o sinal analógico e o digital funcionam em simultâneo, mas Luís Ramos avançou que já estavam criadas as condições para avançar com o ‘apagão‘ analógico em várias ilhas.

Contudo, a falta de equipamentos suficientes no mercado, dando como exemplo o descodificador para que as pessoas possam ter os equipamentos compatíveis em casa, tem vindo a atrasar o início do ‘apagão‘ analógico, faseado.

Neste momento, a TDT tem oito canais de televisão e seis rádios à disposição dos cabo-verdianos, mas Luís Ramos garantiu à Lusa que a ideia é disponibilizar mais estações televisivas, sobretudo regionais, à semelhança do que já acontece com as rádios comunitárias.

Cabo Verde é um dos cinco países da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) que estão mais avançados em termos de implementação da TDT, conforme determinou a União Internacional de Telecomunicações (UIT).