IRIS FM
91.4 FM
Mundo

Com meios pragmáticos, China e EUA encontram caminho para resolver questões

A nova rodada de negociações econômicas e comerciais de alto nível China-EUA terminou recentemente em Washington. Os dois lados conseguiram progressos essenciais em várias áreas, tais como agricultura, proteção aos direitos de propriedades intelectuais, taxa de câmbio, serviços financeiros, ampliação de cooperação comercial, transferência de tecnologias e resolução de disputas.

As equipes dos dois países também discutiram o arranjo das negociações no futuro e concordaram em desempenhar esforços em conjunto para promover a chegada de um acordo final. A parte norte-americana considera que as últimas negociações conseguiram êxitos reais e espera que o texto do acordo da primeira etapa seja elaborado o mais cedo possível.

Devido às diferenças culturais e estilos linguísticos, as expressões das duas partes sobre os resultados das negociações se diferenciaram. Em comparação, as descrições chinesas foram mais concisas, enquanto as norte-americanas foram mais concretas. As atitudes das duas partes, porém, revelaram-se realmente iguais. Por exemplo, as duas partes concordaram que as negociações desta rodada conseguiram êxitos e progressos “reais” e ambas manifestaram o desejo de esforçar-se para firmar um acordo final.

Isso mostra que o maior resultado desta rodada de negociações foi que, com uma alta sabedoria política e meios mais pragmáticos, a China e os EUA encontraram um caminho para resolver as questões e corresponderam à esperança do mercado.

Os EUA e a China são as maiores economias do mundo. As questões econômicas e comerciais entre os dois países são muito complicadas, por isso, é ilusório tentar selar um acordo abrangente em curto prazo. Após mais de um ano de negociações e atritos, ambas as partes perceberam que priorizar os interesses dos consumidores e produtores, abordar os problemas a partir dos setores com menos divergências e promover a resolução gradual desde as questões mais fáceis para as mais difíceis constituem um método efetivo para enfrentar a situação.

A guerra comercial não tem ganhador. Esta é uma teoria que foi evidenciada repetidamente pela história e realidade. A China e os EUA já realizaram mais de dez rodadas de negociações econômicas e comerciais, com resultados positivos e negativos. O resultado desta rodada de negociações, entretanto, demonstra que, como a evolução ziguezague das relações sino-norte-americanas nos últimos 40 anos, as negociações econômicas e comerciais entre os dois países conseguem encontrar um caminho correto após muitas reviravoltas.

O relacionamento econômico e comercial sino-norte-americano é como uma “âncora” para estabilizar a situação geral. O tratamento satisfatório desta relação beneficia a China, os EUA e também a paz e a prosperidade mundial. Este foi um novo consenso alcançado entre os dois países.

Com base no progresso das negociações sobre algumas partes do acordo, as duas partes devem continuar os esforços pela chegada de um acordo final e impulsionar as relações bilaterais a uma trajetória correta.

Tradução: Paula Chen

Revisão: Erasto Santos Cruz