IRIS FM
91.4 FM
Mundo

Escalada do risco económico destaca urgência do multilateralismo

Recentemente, a nova diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, alertou que o crescimento econômico mundial pode desacelerar e chegar ao nível mais baixo desde 2010. Sobre a escalada do risco econômico global, os ministros das finanças da Austrália, Cingapura, Indonésia e Canadá publicaram em conjunto um artigo, salientando o multilateralismo como a única opção para lidar com o desafio político e econômico atual. Tudo isso reflete a urgência do reforço do multilateralismo e da defesa da ordem do livre comércio.

Este ano marca o 75º aniversário do estabelecimento do sistema Bretton Woods. Depois da Segunda Guerra Mundial, os EUA, devido a sua superpotência, liderou o estabelecimento dos sistemas monetário, financeiro e comercial. Baseado nas vantagens comparativas, os países ocidentais têm sido beneficiados da livre competição e da ordem comercial. Entretanto, o atual governo estadunidense tem implementado sua política de “EUA primeiro”, além de iniciar guerras comerciais e promover o protecionismo, causando desafios sem precedentes para a ordem política e econômica internacional estabelecida desde a Segunda Guerra Mundial.

Ao mesmo tempo, o crescimento econômico mundial tem pela frente uma grande pressão. De acordo com a OCDE, a previsão do crescimento econômico deste ano foi reajustada para 2,9%, o menor crescimento desde 2008.

Perante as incertezas, a comunidade internacional tem que pôr em prática o multilateralismo. Os grandes países devem assumir uma maior responsabilidade em defesa do multilateralismo e das regras do livre comércio. O mais urgente é pôr fim aos atritos comerciais. Segundo estatísticas do FMI, até 2020, a perda econômica causada pelos atritos comerciais será de US$ 700 bilhões, equivalente a 0,8% do PIB do globo.

Os países desenvolvidos devem seguir a tendência do desenvolvimento do mundo, e permitir mais direitos de governança internacional e elaboração de regras multilaterais às economias emergentes, considerando que a ascensão dos países emergentes é uma verdade irreversível.

Atualmente a economia mundial está sofrendo dores. E essas dores se tornaram ainda mais complicadas por causa da competição entre grandes países e do reequilíbrio entre países desenvolvidos e emergentes. De certo modo, estamos em um período de transição entre a ordem velha e nova. Quando a comunidade internacional persistir no multilateralismo e diálogo em pé de igualdade, haverá uma nova solução para lidar com os riscos e realizar o desenvolvimento ganha-ganha.

Tradução: Xia Ren

Revisão: Gabriela Nascimento