IRIS FM
91.4 FM
Mundo

Actualização do consumo injecta força motriz à economia chinesa

No recente feriadão do Dia Nacional da China, vários dados de consumo bateram novos recordes. Entre os dias 1º e 7 de outubro, as vendas do varejo e de restaurantes cresceram 8,5% em comparação com o mesmo período do ano passado, a renda do turismo alcançou 649,71 bilhões de yuans, e a bilheteria dos filmes duplicou em relação ao ano passado. Uma série de dados demonstrou que no contexto dos fatores de incerteza, o consumo se tornou a força motriz mais importante da economia chinesa, impulsionando o desenvolvimento estável da economia do país.

O consumo dos chineses está em atualização, nomeadamente nos setores de compras, alimentação, turismo e cultura. Além disso, o consumo chinês está caracterizado pelas novidades como “economia noturna” e “primeira loja”. Nos primeiros seis dias do feriadão, o consumo em restaurantes entre 22h da noite e 6h da manhã cresceu 54,9% do que no ano passado, abrindo mais uma fonte do crescimento econômico do país. O conceito de “primeira loja” se refere à abertura da primeira loja de uma grande marca em uma determinada região. Assim, há um impulso e desenvolvimento no comércio local. É também um termo bastante popular de consumo, diversificando o mercado do país.

A prosperidade do mercado de consumo é fruto da elevação do poder de compra e a melhoria da qualidade de produtos e serviços. No primeiro semestre do ano, cada chinês pôde consumir 15,294 yuans em média, valor 6,5% mais alto do que 2018. Atualmente há 400 milhões de chineses na classe média, o que representa um firme apoio ao consumo. Além disso, as empresas chinesas continuam inovando, fornecendo produtos e serviços de melhor qualidade, e que são aplaudidos pelos consumidores chineses.

Em agosto deste ano, a China publicou 20 medidas para estabilizar a previsão de consumo, revitalizar a confiança dos consumidores, desenvolver o sistema de circulação na área rural e impulsionar a compra de automóveis, garantindo a estabilidade do mercado.

Analistas indicaram que o consumo continua a ser a maior força motriz do crescimento econômico. No primeiro semestre deste ano, o consumo contribuiu 60,1% ao crescimento econômico. No contexto da desaceleração mundial, protecionismo comercial e unilateralismo, a prosperidade do mercado chinês sinaliza que o consumo injetará nova força motriz à economia chinesa, o que também é o fundamento do país para aguentar ventos e chuvas no exterior.

Tradução: Xia Ren

Revisão: Gabriela Nascimento