IRIS FM
91.4 FM
Mundo

Status da China como país em desenvolvimento não pode ser negado

A Casa Branca dos Estados Unidos pediu, nesta sexta-feira (26), ao seu representante comercial para aplicar todos os meios possíveis com vista a garantir que a Organização Mundial do Comércio (OMC) acelere a reforma sobre o estatuto dos países membros em desenvolvimento.

Os EUA dizem que possivelmente irão tomar ações unilaterais, caso nenhum progresso óbvio seja visto dentro de 90 dias. Esse ato demonstra o desprezo flagrante dos EUA às regras da OMC, sendo um pragmatismo e hegemonismo típico.

Como todos sabem, o status dos estados membros em desenvolvimento da OMC é classificado de acordo com a situação real dos países. Isso ajuda a promover a reforma doméstica e abertura do mercado dos países membros, além de ser favorável para alcançar as diversas metas da OMC. Neste sentido, o “Tratamento Especial e Diferenciado” para os países em desenvolvimento visa incentivar o crescimento econômico contínuo. Este princípio é uma base do mecanismo comercial global.

Entretanto, os EUA sempre ignoraram esse princípio da OMC, achando que o mesmo vai beneficiar os países com rápido desenvolvimento econômico.

Por isso, Washington pediu várias vezes, repetidas, uma reforma da OMC.

Desde que a China se tornou a segunda maior economia do mundo, em 2010, os EUA exigiram fortemente a sua privação do status de país em desenvolvimento. O fenômeno tornou-se mais discutido depois deTrump assumir o cargo presidencial dos EUA. A Casa Branca acusou, várias vezes, a OMC de favorecer a China e de ser injusta com os EUA.

Para que um estado seja considerado um país em desenvolvimento, ou não, é necessário ter em conta um conjunto de fatores abrangentes e não apenas um único indicador. O PIB, PIB per capita, estrutura industrial, capacidade de inovação e distribuição de renda nacional devem ser incluídos no intervalo de referência.

A China tem atualmente cerca de 1,4 bilhão de população e está enfrentando o problema de ter um grande volume econômico, mas renda per capita relativamente baixa. Além disso, o desenvolvimento desequilibrado entre regiões também impacta a China.

A natureza da disparidade entre a China e os EUA é a diferença entre o maior país em desenvolvimento e o maior país desenvolvido. Não é racional que os EUA recusem que a China é um país em desenvolvimento, tendo como o indicador apenas o PIB.

A China apoia firmemente a promoção da reforma da OMC, mas salienta que essa reforma deve defender o mecanismo comercial multilateral, de forma a garantir os interesses dos países em desenvolvimento.

Tradução:Zhao Yan
Edição: Hilário Taimo