IRIS FM
91.4 FM
Mundo

Cooperação entre China e EUA é desejo comum dos dois povos

O jornal norte-americano The Washington Post divulgou nesta quarta-feira (3) uma carta conjunta intitulada “a China não é um inimigo”, que foi enviada para o presidente Donald Trump e para o congresso norte-americano, com assinaturas de 100 acadêmicos, diplomatas, representantes militares e empresários do país.

A carta expressou num tom racional muitas das visões sobre as relações entre Estados Unidos e China. Em um de seus apontamentos, o texto reafirma o relacionamento essencialmente benéfico a ambos os países, em vez da visão de inimigos. O comércio de mercadorias bilateral ultrapassou US$ 630 bilhões em 2018 e o volume econômico destes dois países representa 40% do mercado global. O sucesso da China depende do sucesso dos Estados Unidos e vice-versa. No entanto, a supertaxação imposta por Washington vai contra o fundamento de benefício mútuo das relações.

Os dados publicados pelo Departamento do Comércio norte-americano mostram que o seu déficit comercial continua aumentando e em maio bateu o recorde do ano, especialmente diante da China com déficit a US$30,2bilhões. O fato prova que o aumento de tarifa não resolve a preocupação da Casa Branca em termos de comércio exterior .

Ao mesmo tempo, o cálculo feito por Morgan Stanley indica que o índice de confiança do bancário (BCI) diminuiu de 45 pontos para 13 pontos em um mês, o que é interpretado como uma deterioração rápida da confiança do setor empresarial.

Conforme o consenso alcançado pelos presidentes Xi Jinping e Donald Trump na margem do G20, a China e os Estados Unidos devem discutir em seguida as questões mais concretas da disputa comercial. Os esforços e determinações são indispensáveis para superar as divergências. Desde que se respeitem um a outro e se tratem com igualdade, os dois países terão um resultado satisfatório a todos e bem visto por todo o mundo.

Tradução: Isabel Shi

Revisão: Luciana Isabor