IRIS FM
91.4 FM
Mundo

Promover negociações comerciais China-EUA com igualdade e respeito mútuo

O presidente chinês, Xi Jinping, encontrou-se neste sábado (29) com o presidente norte-americano, Donald Trump, durante a 14ª Cúpula do G20, realizada em Osaka, cidade japonesa.

Durante o encontro, os dois líderes concordaram em reiniciar as negociações econômicas e comerciais com base em igualdade e respeito mútuo. A parte norte-americana explicitou que não adotará novas tarifas aduaneiras sobre produtos exportados pela China. As equipes relevantes dos dois países vão discutir sobre os assuntos concretos.

Sendo um sinal positivo, a retomada das consultas comerciais entre a China e os EUA atende à opinião pública dos dois povos e à expectativa da comunidade internacional e também contribuirá com a atenuação da tensão do mercado.

Como as maiores economias do mundo, é normal que a cooperação econômica e comercial entre a China e os EUA encontre divergências. O ponto-chave para resolver os problemas reside no diálogo em pé de igualdade e controle das confrontações com respeito mútuo.

Neste último ano, a China tem respondido com maior paciência e sinceridade às preocupações da parte norte-americana e tem trabalhado para promover um consenso aceitável para ambos. A adoção de repressões dos EUA, porém, levou a frustrações das negociações e causou maior pressão assimétrica para a economia mundial.

Os fatos comprovam que a aplicação de tarifas adicionais não resolve os problemas. A conversa com base em igualdade constitui a única solução. A retomada das negociações entre a China e os EUA promove o retorno ao trilho correto para lidar com a situação problemática. Entretanto, as questões econômicas e comerciais entre os dois países têm sido complicadas e requerem esforços duros para serem solucionadas.

A China tem a sinceridade de continuar as consultas com os EUA, mas as duas partes devem ter uma posição igualitária e procurar benefícios para ambas. A resolução das divergências vai beneficiar não apenas a China e os EUA, como também o mundo inteiro. A China espera que as equipes dos dois países aproveitem a oportunidade preciosa do reinício das negociações e implementem os consensos alcançados durante a reunião dos líderes dos dois países, com o objetivo de aumentar a confiança mútua, ampliar os consentimentos e impulsionar o progresso das consultas bilaterais.

Tradução: Paula Chen

Revisão: Diego Goulart