IRIS FM
91.4 FM
Mundo

Só o diálogo em pé de igualdade pode resolver problemas entre China e EUA

Os líderes da China e dos EUA tiveram, no dia 18, uma conversa por telefone, concordando em um encontro durante a Cúpula do G20 a ser realizada em Osaka, no Japão. A notícia aliviou temporariamente a preocupação do mundo e deu um incentivo às bolsas de mercado.

Devido à escalação de atritos comerciais e agravação de indeterminação econômica, a Organização Mundial do Comércio (OMC) reduziu a previsão do crescimento comercial global de 3,7% para 2,6% enquanto o Banco Mundial também revisou para baixo o ritmo de crescimento econômico mundial de 2018 e 2019 para 2,6% e 2,7% respectivamente, com um declínio de 0,3% e 0,1% em relação às cifras divulgadas em janeiro pela entidade. Sendo uma economia de responsabilidade, a China está disposta a defender o crescimento econômico mundial e os interesses dos povos do mundo, considerando sempre as consultas como prioridade, além de ter vontade de promover consultas com os EUA, a fim de encontrar soluções o mais rápido possível.

A chave de negociações comerciais entre China e EUA é resultado de esforços conjuntos e cumprimento do consenso chegado entre os líderes de ambos os países no encontro realizado na Argentina no ano passado. Ambos os lados devem promover diálogos em pé de igualdade e levar em consideração as preocupações e interesses do outro lado.

Porém, as declarações do representante comercial, Robert Lighthizer, feita no Senado e Câmara dos Representantes são inesperáveis. No Senado, Lighthizer disse que não é possível resolver problemas somente com diálogos. Na Câmara dos Representantes, ele disse que deve-se resolver o problema através de meios que melhorem as relações entre a China e os EUA e defendam a vantagem norte-americana na competição. As declarações de Lighthizer mostram a vontade de melhorar as relações bilaterais como também desejo de impor tensão à China através de impostos, o que não é uma boa atitude para solucionar problemas.

O fato ocorrido no ano passado comprovou que são e serão inúteis os meios adotados pelos EUA para impor tensões à China. Após a declaração de sobretaxas pelos EUA, a China adotou também contramedidas a respeito. A China se torna mais madura, tranquila e determinada ao adotar contramedidas e está bem preparada em todos os aspectos.

Respeito, credibilidade, igualdade e benefícios recíprocos são palavras-chave nas negociações entre os dois países e os EUA devem conhecer melhor as preocupações chinesas. Faltam menos de 10 dias para o encontro entre os líderes da China e dos EUA. Esperamos que as delegações comerciais de ambos os lados possam mostrar mais esforços em conjunto, promovendo consultas ao eliminarem as divergências. As sobretaxas dos EUA não ajudarão a resolver o problema. Só o diálogo em pé de igualdade pode resolver esses problemas entre a China e os EUA.

Comentaria: Sheng Yuhong

Tradução: Li Jing

Revisão: Gabriela Netto