Questão crítica da construção da Grande Área da Baía Guangdong-Hong Kong-Macau

Desde o lançamento pelo governo chinês do esboço do plano de desenvolvimento para a região da Grande Área da Baía Guangdong-Hong Kong-Macau em fevereiro, 98,7% das reportagens concernentes são positivas. Nas sessões anuais da Assembleia Popular Nacional (APN) e da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (CCPPCh), representantes de Guangdong, Hong Kong e Macau discutiram sobre o desenvolvimento da Grande Área da Baía.

A Grande Área da Baía Guangdong-Hong Kong-Macau é caracterizada por “um país, dois sistemas sociais, três áreas alfandegárias, três moedas e três sistemas jurídicos”. Para explorar um novo caminho de desenvolvimento com características chinesas e atingir o nível das três maiores áreas de baía do mundo, que são Nova Iorque, São Francisco e Toquio, a questão crítica consiste em inovação institucional.

Segundo o plano, a prioridade de construção da Grande Área de Baía neste ano será promover o planejamento geral pelas instâncias superiores em sistemas de planos e políticas, reforçar o acoplamento de regras, promover o fluxo de fatores de produção e facilitar o movimento de pessoas, sobretudo fornecer serviços de apoio ao empreendedorismo de jovens de Hong Kong e Macau em Guangdong.

Hong Kong, Macau e Guangdong têm mantido cooperações estreitas nos últimos 40 anos desde a reforma e abertura. Essa cooperação foi aprofundada constantemente após o regresso das duas regiões administrativas especiais à China. Por exemplo, em 2003, o governo central assinou respectivamente com as autoridades de Hong Kong e Macau os acordos de estreitamento das relações econômicas e comerciais. Nos últimos anos, a China criou uma área de cooperação para a indústria de serviços moderna de Qianhai, na cidade de Shenzhen. Posteriormente, criou uma zona piloto de livre comércio em Guangdong. Tudo isso estabelece uma base para a construção da Grande Área da Baía.

Analistas acham que a inovação financeira pode desempenhar um papel orientador na inovação institucional na Grande Área da Baía. Segundo dados do Banco de Liquidação Internacional, Hong Kong é o segundo maior mercado de transação de câmbio da Ásia e o quarto maior do mundo, sendo também o maior centro de negócios offshore de Renminbi. A conexão de bolsas de valores entre Shanghai e Hong Kong e entre Shenzhen e Hong Kong promoveu a cooperação financeira entre a região e o interior do país. A Grande Área da Baía aproveitará bem a vantagem de Hong Kong como centro financeiro global, fornecendo fundos para a atualização da indústria manufatureira e à inovação tecnológica.

A província de Guangdong está planejando 40 medidas de reforma para melhorar o ambiente de negócios e impulsionar o apoio à economia real através de inovação financeira. A construção da Grande Área da Baía Guangdong-Hong Kong-Macau servirá como uma janela para o mundo observar como a China promove o desenvolvimento regional de alta qualidade de forma inovadora.

Tradução: Florbela Guo

Revisão: Erasto Cruz

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*