China recebe o futuro com a certeza da reforma

2019 chegou.

Entre as dez principais not√≠cias internacionais em 2018 selecionadas pela m√≠dia de v√°rios pa√≠ses, se destaca a escalada das tens√Ķes no com√©rcio global provocada pelos Estados Unidos.

O presidente chinês, Xi Jinping, disse em sua mensagem de Ano Novo que a China mantém a confiança e a determinação de defender a soberania e a segurança nacionais, bem como a sinceridade e a boa intenção de manter a paz mundial e promover o desenvolvimento comum.

Em 2018, a China lan√ßou uma s√©rie de medidas de reforma e abertura, desde corte substancial de tarifas, redu√ß√£o de itens das listas negativas, elimina√ß√£o de restri√ß√Ķes de investimento, at√© refor√ßo da prote√ß√£o √† propriedade intelectual.

O contexto dessas medidas é que a China deve aprofundar as reformas, independentemente de seus atritos comerciais com os EUA.

Nos √ļltimos anos, especialmente em 2018, o populismo, o protecionismo e o unilateralismo aumentaram e at√© prevaleceram em alguns pa√≠ses, minando o livre com√©rcio e a globaliza√ß√£o. Os atritos comerciais entre a China e os EUA come√ßaram a diminuir e os dois pa√≠ses concordaram em conduzir negocia√ß√Ķes. A expans√£o de abertura da China n√£o s√≥ promover√° as negocia√ß√Ķes entre os dois pa√≠ses, mas tamb√©m contribuir√° para o desenvolvimento comum com todos os pa√≠ses.

Do ponto de vista do PIB per capita, a China ainda √© um pa√≠s em desenvolvimento, embora tenha sido a segunda maior economia do mundo por muitos anos devido a seu agregado econ√īmico. A China est√° empenhada em defender o sistema global de com√©rcio multilateral. O pa√≠s adotou v√°rias medidas para abrir ainda mais seu mercado interno, o que promover√° o com√©rcio e investimentos globais.

A economia chinesa tamb√©m enfrenta novos desafios. Os dados mais recentes mostram que em dezembro de 2018, o √ćndice de Gerentes de Compras (IGC) da China caiu para 49,4, de 50,0 registrado em novembro.

Felizmente, a inova√ß√£o independente est√° desempenhando um papel cada vez maior na reestrutura√ß√£o da economia chinesa. O √ļltimo relat√≥rio anual da Organiza√ß√£o Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) mostra que a China teve o maior n√ļmero de pedidos de propriedade intelectual no mundo em 2017.

A Suprema Corte chinesa criou recentemente um tribunal de propriedade intelectual. Esta é uma grande notícia positiva para os investidores chineses e estrangeiros.

A China e os Estados Unidos poder√£o conduzir consultas e negocia√ß√Ķes neste m√™s. Embora os resultados sejam imprevis√≠veis, √© certo que um acordo entre os dois pa√≠ses beneficiar√° n√£o s√≥ as duas economias, como tamb√©m o mundo inteiro.

Para a China, n√£o importa qual seja o resultado das consultas e negocia√ß√Ķes, nem importa quantas sejam as incertezas no futuro, sua prioridade √© sempre aprofundar a reforma. Ao longo dos √ļltimos 40 anos, a China nunca hesitou em aprofundar ainda mais a reforma e abertura para enfrentar os desafios internos e externos.

A China já mostrou seu objetivo, que é a modernização de seu sistema de governança e de sua capacidade de governança.

Tradução: André Hu

Edi√ß√£o: Keila C√Ęndido

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*