Qual país o Canadá está defendendo?

Meng Wanzhou, responsável das Finanças da Huawei e também filha do fundador e CEO da empresa chinesa, Ren Zhengfei, foi detida no dia 1 em Vancouver pela polícia do Canadá, a pedido dos EUA. O tribunal canadense realizou no dia 6 deste mês uma audição de fiança, que durou cinco horas. Entretanto, a decisão não foi feita na ocasião e será adiada para a próxima segunda-feira (10).

A detenção de Meng Wanzhou chamou a atenção da comunidade internacional. A empresa Huawei, o povo e governo chinês estão muito chocados e indignados com o ato do Canadá. Este incidente expôs muitos problemas e fará o Canadá pagar um preço pesado.

Os EUA e o Canadá reivindicam sempre justiça e um sistema legal bem estabelecido. No entretanto, sua hegemonia e a essência de desonestidade estão expostas a todo o mundo.

O Congresso norte-americano criticou seis anos atrás que os equipamentos produzidos pela Huawei poderiam constituir ameaça à segurança dos Estados Unidos. As instalações de telecomunicação da empresa chinesa foram proibidas de serem vendidas no país. A Huawei tentou regressar ao mercado dos EUA, mas falhou devido à obstrução pelas autoridades norte-americanas. Não importa de qual aspecto, a Huawei não violou as leis dos EUA. Portanto, a investigação e acusação aos executivos da empresa chinesa não têm base factual.

O Canadá afirmou que a detenção de Meng Wanzhou não envolveu a política e salientou o respeito à independência do processo judicial. Entretanto, a verdade é o oposto. O ato do Canadá prejudicou os esforços da comunidade internacional em proteção dos direitos humanos e a paz e o desenvolvimento estável mundial.

Por outro lado, o caso foi uma luta que tem como alvo a empresa líder de tecnologia da China. O Canadá está desempenhando um papel de “destruidor” neste processo.

Além disso, a ação do Canadá também vai impactar o desenvolvimento das relações com a China. O governo chinês se opõe e protesta firmemente a detenção da cidadã chinesa. A China já apresentou representação solene aos EUA e ao Canadá, exigindo dos dois países a liberação imediata de Meng Wanzhou e a garantia de seus direitos legítimos.

Tradução: Zhao Yan

Edição: Diego Goulart

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*